Skip to main content
Indústria 4.0 em pequenas e médias empresas: É possível?

Indústria 4.0 em pequenas e médias empresas: É possível?

O tema Indústria 4.0 está sempre presente em feiras, eventos e convenções relacionadas ao setor industrial, onde são discutidos IoT, Big Data, Inteligência Artificial e muitas outras coisas. Entretanto, como ficam as pequenas e médias empresas dentro desse contexto dominado por grandes players do mercado? Saiba mais sobre a realidade das PMEs em relação à Indústria 4.0.

Indústria 4.0 em pequenas e médias empresas: É possível?

A Indústria 4.0, apesar de já ter se provado extremamente eficaz, esbarra em algumas barreiras quando aplicada ao cenário brasileiro – ainda falta mão de obra especializada, programas de incentivo e os altos impostos também não ajudam na hora de dar o pontapé inicial na inovação.

Além disso, as tecnologias do modelo 4.0 ainda são pouco conhecidas pelo pequeno e médio empreendedor, tal como constatado na pesquisa “Indústria 4.0: novo desafio para a indústria brasileira”, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), onde 57% das pequenas empresas afirmaram desconhecer tais tecnologias.

Apenas 2% das empresas brasileiras praticam conceitos da Indústria 4.0, segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), ligada ao Ministério da Indústria e Comércio (Mdic). Esse número deve chegar a 15% em até 15 anos.

Tais dados, analisados em conjunto, evidenciam a importância de sair na frente do mercado e adquirir, assim, uma vantagem competitiva perante ao mercado.

Mas, afinal, como fazer isso?

Indústria 4.0 e PMEs: Como uni-las?

Indústria 4.0 em pequenas e médias empresas: É possível?

Antes de qualquer decisão, é preciso modificar uma coisa em sua empresa: a forma de pensar, pois a Quarta Revolução Industrial traz muitas novidades no chão de fábrica, as quais devem ser acompanhadas pelos gestores e líderes da companhia.

Há mudanças em processos, logo, a produção passa a ser vista sob um olhar mais analítico, baseada em dados estratégicos. Esteja ciente disso e busque ficar por dentro do que há de mais atual sobre o tema!

Sabendo disso, o próximo passo é analisar os recursos disponíveis para investimento. Visto que a economia brasileira ainda está longe da alemã, onde surgiu o conceito de Indústria 4.0, e também não existem tantas ofertas de automação no mercado, o ideal é adaptar-se gradualmente.

Uma das alternativas é começar com sistemas integrados e sensores, visando a otimização da produtividade através da gestão de dados. Com isso, os problemas são diagnosticados rapidamente, permitindo que a correção também seja eficiente, e a relação entre demanda e produção é mais assertiva, evitando estoques parados e perda de mercadorias.

São conceitos mais básicos, porém, que surtem efeitos positivos e já são um ótimo começo dentro no cenário nacional.

De forma gradual, é possível implantar novas tecnologias em pequenas e médias empresas e, aos poucos, acostumar-se com cada uma delas e ganhar vantagem competitiva.

A Indústria 4.0 é uma realidade em PMEs, mas não se trata de algo que acontece da noite para o dia. Boa sorte nessa jornada tecnológica, empreendedores e empreendedoras de plantão!

Aproveite e leita também: Como a indústria 4.0 pode afetar você?

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *