Skip to main content
pcr e pir resinas

PCR e PIR: dois gêneros de resinas recicladas, um mesmo benefício para a economia circular

pcr e pir resinas

Ambas igualmente importantes para a sustentabilidade da cadeia do plástico, resinas PCR e PIR têm algumas diferenças entre si. Veja quais.

Quem atua na cadeia do plástico certamente já ouviu referências às siglas PCR e PIR, hoje muito usuais no dia a dia desse setor, que busca de maneira cada dia mais incisiva ajustar suas práticas e seus processos aos modelos propostos pela sustentabilidade e pela economia circular.

Tanto PCR quanto PIR são importantes para esse modelo mais sustentável, pois proporcionam, ambas, o reuso de plásticos que de outro modo seriam desperdiçados, e descartados no meio ambiente.

Há, porém, algumas diferenças entre essas duas modalidades de resinas recicladas. Nesse texto, você saberá um pouco mais sobre elas, bem como sobre sua importância para a consolidação da indústria do plástico como uma cadeia econômica com processos mais circulares.

 

Reciclagem após o consumo

PCR é a sigla referente à expressão inglesa Post-Consumer Recycled, referente às resinas obtidas pela reciclagem das matérias-primas plásticas já utilizadas pelos consumidores.

Isso inclui:

  • Embalagens dos mais diversos produtos: alimentos, artigos de higiene e de limpeza, cosméticos, entre inúmeros outros;
  • Componentes plásticos de eletroeletrônicos;
  • Potes e frascos;
  • Utensílios domésticos;
  • Brinquedos.

Enfim, são resinas já utilizadas na fabricação de produtos que o consumidor já utilizou, e pretende então descartar. E consumidor, nesse caso, não significa apenas uma pessoa individual, ou sua família, pois também geram resinas PCR materiais descartados por lojas, escritórios, escolas, e inúmeros outros gêneros de estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços.

Para que essa matéria-prima siga para a reciclagem, e possa ser reaproveitada em novos produtos – implementando-se assim uma prática circular -, é preciso que ela seja adequadamente descartada, em locais hoje disponibilizados em inúmeros ambientes: espaços públicos, pontos de coleta seletiva, estabelecimentos comerciais, cooperativas, entre outros.

Além de tornar mais sustentável a cadeia do plástico, as resinas PCR têm também papel social relevante: especialmente aqui no Brasil, onde proporcionam renda para enormes quantidades de catadores, que coletam e separam os materiais descartados após o consumo. Sem contar com os empregos gerados na etapa posterior, da reciclagem e da distribuição das resinas recicladas.

 

Resíduos industriais

Já a sigla PIR designa Post-Industrial Resin. Ou seja, a resina obtida pela reciclagem do material de aparas, rejeitos, e outras sobras do processo de produção de uma indústria.

Além dessa diferença de origem, outras características distinguem resinas PIR e PCR:

  • Como resinas PIR são produzidas com o material normalmente utilizado pela indústria, pode, na maioria dos casos, retornar quase imediatamente, sem nenhum problema, ao mesmo processo produtivo.
  • Mas resinas PCR têm um diferencial muito marcante no quesito da sustentabilidade, pois reinserem na cadeia produtiva materiais que costumeiramente eram simplesmente deixados no meio ambiente. E várias de suas possíveis deficiências em quesitos qualitativos e técnicos, que poderiam inibir seu uso em determinados processos, podem ser corrigidos com a vasta quantidade de aditivos hoje disponíveis.
  • E é importante ressaltar: tanto as resinas PCR quanto PIR são cada dia mais valorizadas e mais demandadas: até porque várias das principais marcas dos mais diversos tipos de produtos, nacionais ou globais, hoje buscam utilizar resinas recicladas.

Atualmente, diversas grandes marcas, nacionais e globais, estão até abandonando a visão das resinas recicladas como alternativas de redução de custos. Visão, aliás, que realmente não deve prevalecer, pois a reciclagem pressupõe uma cadeia, logística e de produção, que torna difícil a competitividade entre elas e as resinas virgens baseada apenas no quesito preço.

Para essas marcas, resinas recicladas são importantes para o cumprimento de suas metas de sustentabilidade, publicamente anunciadas. A Piramidal disponibiliza uma linha de resinas recicladas: a linha Eccoar, composta por resinas de PET, PP, PEAD e PEAD, disponíveis nas opções PCR e PIR.

Ela integra o portfólio de nossa Unidade de Soluções Circulares, com a qual oferecemos produtos e serviços com menor impacto ambiental, e colaboramos com nossos clientes no desenvolvimento de produtos mais sustentáveis. E, dessa forma, nos mantemos não apenas como provedores das melhores soluções em resinas, mas também como organização comprometida com a sustentabilidade e a economia circular.

Saiba mais sobre nós em www.piramidal.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


A Piramidal se preocupa com você e sua privacidade

O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Ao navegar pelo site, coletaremos tais informações para utilizá-las com estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.

Aceito